O Pecado da Mentira

Categorias: Lições de Estudo da Bíblia Tags: Lições da Bíblia sobre o Pecado

De todos os pecados que o homem pode cometer, a mentira é talvez a mais destrutiva. Mentiras, em si, não são tão prejudiciais; são apenas palavras, mas suas consequências são destrutivas. Quando as pessoas baseiam suas decisões em mentiras, fazem escolhas ruins que acabam destruindo suas vidas e a de outros. Além disso, as mentiras escondem a verdade, o que pode levar à injustiça tanto para os culpados quanto para os inocentes.

O pecado da mentira contradiz o próprio caráter de Deus. A Bíblia ensina que Deus não pode mentir (Tito 1:3, Hebreus 6:18); é contra a natureza dEle promover o que é falso. No entanto, Jesus diz que Satanás é o pai da mentira (João 8:44). Portanto, mentir é escolher não ser como Deus e imitar o caráter de Satanás e Provérbios 6:19 diz que mentir está entre as coisas que Deus odeia. Não é surpresa que um dos dez mandamentos seja: “Não darás falso testemunho” (Êxodo 20:16).

A Bíblia reconhece diferentes categorias de mentiras, mas nunca ensina que qualquer mentira é menos condenável do que outra. A mentirinha branca é tão condenável quanto o perjúrio, embora as consequências possam não ser completamente as mesmas. João escreve em Apocalipse 21:8:

Mas, quanto aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.

João certamente não fez discriminação sobre que tipo de mentirosos seriam perdidos; ele simplesmente disse, todos os mentirosos.

Os cristãos devem ser pessoas que falam a verdade. Efésios 4:25 diz: “Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros”. O contexto de Efésios 4 nos diz que falar a verdade é parte do que significa ser uma nova criação em Cristo; está no cerne de ser um cristão. Colossenses 3:9 faz um paralelo com Efésios; “Não mintais uns aos outros, pois já vos despistes do velho homem com os seus feitos”.

Para o cristão que se esforça para seguir o ensino de Jesus, é uma questão simples de observar o ensino de Jesus sobre esse assunto. Em Mateus 5:37, Jesus disse: “Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que passar disso vem do Maligno”. Tiago ecoa os comentários de Jesus em Tiago 5:12: “Sobretudo, meus irmãos, não jureis nem pelo céu nem pela terra, nem façais qualquer outro juramento; mas que a vossa palavra seja sim, sim e não, não, para que não caiais em juízo”. O povo judeu havia transformado a prestação de juramento em mais uma forma de mentir. Isso era proibido por Jesus e, por implicação, também a mentira.

Às vezes é difícil dizer a verdade. As pessoas nem sempre querem ouvi-la porque expõe a escuridão em suas vidas e as pessoas amam mais a escuridão do que a luz (João 3:19). No entanto, como cristãos, somos obrigados a dizer a verdade com amor (Efésios 4:15) e falamos a verdade porque amamos (1 Coríntios 13:6). Vamos fazê-lo e ser pessoas que amam a verdade, independentemente das consequências de falar a verdade, e nunca nos envolvamos no pecado da mentira.