A cobra o pássaro e o búfalo

A COBRA, O PÁSSARO E O BÚFALO

Há muito tempo, em uma floresta densa e exuberante, viviam uma cobra astuta, um pássaro livre e um búfalo forte. Embora fossem de espécies diferentes, os três animais eram amigos íntimos e passavam muito tempo juntos.

Certa manhã, a cobra disse aos seus amigos que havia ouvido falar de um tesouro escondido em uma caverna próxima. Ela propôs que os três fossem em busca do tesouro juntos, e dividissem o tesouro igualmente entre si.

O pássaro e o búfalo ficaram empolgados com a ideia e concordaram em seguir a cobra. O pássaro ia sobrevoando a área para vigiar e o búfalo ia esquentando os músculos para qualquer trabalho pesado que surgisse nesta aventura.

Eles caminharam por horas até que finalmente chegaram à entrada da caverna, que estava fechada por uma grande pedra. 

O pássaro sobrevoou a pedra e orientou o búfalo na tarefa de removê-la com sua grande força.

Assim que se abriu uma fresta adequada, a cobra rapidamente se esgueirou para dentro, seguida pelo pássaro. O búfalo não conseguiu entrar.

Logo dentro da caverna, a cobra encontrou o tesouro brilhante e começou a separar a sua parte. O pássaro ficou impressionado com a quantidade de ouro e joias que a cobra estava separando. No entanto, à medida que a cobra continuava a separar mais e mais tesouros, ela começou a ficar gananciosa e se recusou a dividir os bens igualmente.

A cobra argumentou que, como havia sido a responsável direta por encontrarem o tesouro, ela merecia ficar com a maior parte. O pássaro e o búfalo ficaram chateados com a atitude egoísta da cobra, mas não sabiam o que fazer.

Enquanto a cobra ainda estava obcecada com sua riqueza, o pássaro e o búfalo decidiram ir embora sem ela. 

Quando a cobra finalmente saiu da caverna para ver como ia levar os seus tesouros, ela ficou chocada ao ver que seus amigos haviam ido embora. Ela se sentiu triste e solitária, percebendo que sua ganância havia destruído uma bela amizade.

E, por fim, por não ter não pernas nem braços, teve que deixar tudo para traz.

Como consolo, levou uma única e miserável moedinha na boca.

Fonte: Site do Pastor