A Bíblia diz que uma vez salvo, estamos sempre salvos?

A doutrina “uma vez salvo, sempre salvo” pode gerar debates intensos dentro dos círculos cristãos. Aqueles a favor e aqueles contrários se baseiam em passagens bíblicas para apoiar suas posições.

No cerne da doutrina está a questão da segurança eterna. De acordo com os defensores do “uma vez salvo, sempre salvo”, uma vez que alguém aceita verdadeiramente Jesus Cristo como seu Salvador, está salvo. Uma vez salvo, sua salvação é eternamente segura e não pode ser perdida. Suas ações subsequentes não os desqualificam de sua posição segura.

Essa ideia de segurança eterna não é sem desafios. No entanto, ao olhar para essa doutrina, somos levados a considerar questões importantes sobre a salvação e a segurança da fé. Entre elas está a pergunta: você pode ter certeza de que sua salvação está segura em Cristo?

Enquanto alguns argumentarão que “uma vez salvo, sempre salvo” é uma garantia reconfortante da graça de Deus em sua vida, outros argumentarão que isso dá às pessoas um passe livre para viver como quiserem e ainda pensar que podem ir para o céu. Ao explorar esse tópico, mergulharemos em algumas bases bíblicas para esse ensinamento, enquanto consideramos implicações práticas para você à medida que cresce em sua caminhada com Jesus.

Se você está procurando o termo “uma vez salvo, sempre salvo” na Bíblia, boa sorte, porque você não vai encontrar. Não há um versículo específico que use essas palavras exatas nessa ordem. No entanto, isso não significa que não seja verdade, pois existem escrituras que apontam para essa verdade, que compartilharei com você em breve.

É desafiador rastrear a origem exata da frase a uma pessoa, já que numerosos teólogos e pregadores ao longo da história cristã a adotaram. Provavelmente, ela se desenvolveu naturalmente como parte da discussão mais ampla sobre a salvação e a certeza da fé.

Essa discussão não é nova e tem ocorrido há séculos na igreja. Alguns até datam essa discussão a escritos do segundo século.

Vamos abordar a pergunta que muitos de vocês podem ter. A Bíblia apoia a posição de “uma vez salvo, sempre salvo”? Eu acredito que sim, e aqui estão algumas escrituras que se alinham com essa doutrina.

“Quando vocês ouviram e creram no evangelho da salvação que lhes foi anunciado, foram selados em Cristo com o Espírito Santo da promessa, que é a garantia da nossa herança até a redenção daqueles que pertencem a Deus, para o louvor da sua glória.” (Efésios 1:13-14)

“Aquele que nos habilita juntamente convosco em Cristo, e nos unge, é Deus, o qual também nos selou e deu o penhor do Espírito em nossos corações.” (2 Coríntios 1:21-22)

“Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, irá completá-la até o dia de Cristo Jesus.” (Filipenses 1:6)

“As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão. Meu Pai, que as deu para mim, é maior do que todos; ninguém as pode arrancar da mão de meu Pai.” (João 10:27-29)

“Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus.” (Hebreus 12:1-2)

O que esses versículos nos dizem sobre a salvação e como isso se alinha com “uma vez salvo, sempre salvo”? Aqui estão três coisas que essas escrituras nos dizem.

Deus é o autor de sua salvação.

Deus é o sustentador de sua salvação.

Deus é o aperfeiçoador e consumador de sua salvação.

A ideia de segurança eterna ou qualquer coisa eterna deve começar com aquele que é eterno. Nossa salvação, que é eterna, não nos foi dada por causa de algo que fizemos. Da mesma forma, garantir nossa salvação não é algo que podemos fazer sozinhos. A salvação começa com Deus, pois ele é o autor de nossa salvação.

Quando Deus o salvou, ele o marcou com um selo, que é o Espírito Santo. Um selo representa propriedade, o que significa que você pertence a Deus. Os selos não são temporários, mas permanentes, e assim é sua salvação. Se você observar, não somos selados apenas por um momento, o Espírito Santo nos sela até o dia da redenção.

Além disso, o Espírito Santo é um depósito que garante nossa herança. Quando alguém faz um depósito, isso significa que eles pretendem retornar e comprar o item no qual fizeram o depósito. O depósito que Deus fez em nós é para nossa redenção eterna, e ele retornará e cumprirá seu depósito.

Isso seria o suficiente, mas também vemos que aquele que preserva nossa salvação é Cristo. Por estarmos nele, ninguém jamais nos arrebatará de sua mão, e ele completará a obra que começou em você.

Vamos considerar “uma vez salvo, sempre salvo” de outra perspectiva. O processo de salvação é conhecido como nascer de novo. Se nascemos de novo em Cristo, então podemos deixar de nascer de novo fora de Cristo? A resposta a essa pergunta é não.

Por haver opiniões divergentes sobre esse tópico, a primeira coisa que você deve fazer é pesquisar as escrituras por si mesmo. Não aceite a opinião de ninguém sobre isso. Faça o trabalho árduo e examine as escrituras para ver a conclusão a que você chega.

Embora seja aceitável conversar com seu pastor ou outros professores da Bíblia, lembre-se de que eles provavelmente o orientarão com base em sua posição sobre esse tópico.

Sempre encorajo as pessoas a entrar em contato comigo se tiverem dúvidas sobre esses e outros tópicos bíblicos. No entanto, devo dizer de antemão que minha posição é clara: à medida que estudei esse tópico, passei a acreditar plenamente que, uma vez salvo, sempre salvo. Não por causa da minha capacidade de me manter, mas por causa da capacidade de Deus de me manter.

Um argumento contra “uma vez salvo, sempre salvo” é que isso encorajará as pessoas a viver no pecado. Afinal, se minha salvação eterna é garantida, independentemente das minhas ações, posso escolher livremente viver no pecado e ainda ter a certeza de ir para o céu quando morrer. Deixe-me mostrar por que essa ideia está equivocada e que qualquer pessoa que pense que pode viver dessa maneira não está salva de forma alguma.

“Todo aquele que pratica o pecado transgride a Lei; de fato, o pecado é a transgressão da Lei. Vocês sabem que ele se manifestou para tirar os nossos pecados, e nele não há pecado. Aquele que permanece nele não está no pecado; quem está no pecado não o viu nem o conheceu.” (1 João 3:4-6)

A salvação é sobre transformação. Qualquer pessoa que foi salva foi feita nova em Cristo. Essa nova natureza, que o Espírito Santo capacita, muda sua atitude em relação ao pecado. Isso é o que significa nascer de novo. Se não houver mudança de atitude em relação ao pecado, você deve questionar se essa pessoa foi salva em primeiro lugar.

Acredito que o cerne dessa questão está em quem você está confiando para a sua salvação. Se, após a salvação, eu sou o único que deve me manter, então não vejo nenhuma esperança de segurança eterna, porque minha salvação dependeria exclusivamente de mim. No entanto, as escrituras ensinam que Deus nos salva, nos dá seu Espírito Santo, e Jesus nos segura na palma de sua mão. Essa é a esperança na qual coloco minha confiança e por isso acredito que “uma vez salvo, sempre salvo” é uma compreensão precisa de nossa salvação. Cristo é quem comprou nossa salvação, e ele é quem o sustentará de agora em diante e por toda a eternidade.

“Aquele que é poderoso para impedi-los de cair e para apresentá-los diante da sua glória sem mácula e com grande alegria, ao único Deus, nosso Salvador, sejam glória, majestade, poder e autoridade, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, antes de todos os tempos, agora e para todo o sempre! Amém.” (Judas 1:23-24)